ANSIEDADE: Uma vida parada com uma mente em movimento

ANSIEDADE: Uma vida parada com uma mente em movimento

Psicologia
Revista SOS Saúde
IMPRENSA
Matéria de anunciante

Quando todas as coisas boas da vida se tornam motivo de preocupação, é sinal de que algo está errado. A ansiedade é o sentimento típico de quem vive no futuro, se preocupando com as coisas que ainda vão acontecer. Por mais que ela nos atrapalhe o trabalho, o namoro, as coisas boas da vida e acabem com a sua paciência no trânsito, nem sempre é bom se livrar dela. Dá para conviver com a ansiedade pacificamente - e é isso que vai fazer a diferença na hora de reconhecer que nem tudo precisa ser motivo de preocupação o tempo todo.

Ansiedade não é doença. Faz parte do nosso sistema de defesa. De uma forma geral, a ansiedade é um sentimento incômodo e projetado para o futuro. A pessoa ansiosa vive num estado de alerta constante por causa de uma situação que pode acontecer - e causar sofrimento. É o caso do homem que quer puxar assunto com uma mulher bonita, mas tem medo de ser rejeitado. A crise interna que ele sente nesse momento, em que não sabe se deve ir ou ficar na vontade, é a ansiedade.

Não é à toa que o medo é um sentimento essencial para descrever a ansiedade. Ambos surgem no mesmo sistema do nosso corpo, o límbico, e estão localizados nas mesmas regiões do cérebro: a amígdala, a substância cinzenta periaquedutal e o septohipocampal. As 3 são áreas que fazem parte do nosso mecanismo de defesa, que analisa o mundo à volta à procura de ameaças, registram os perigos e também armazenam novos riscos para o futuro.

Saber lidar com as preocupações se tornou uma característica desejada, porque a ansiedade foi relegada ao posto de vilã do mundo moderno. Apesar de ser essencial para a sobrevivência, ela ganhou o estigma de atrapalhar as relações pessoais, a competência no trabalho e todo tipo de situação delicada.  Quem nunca teve um branco na hora de uma prova ou não conseguiu dormir por causa de uma pendência no trabalho? Essas pequenas preocupações afetam o cérebro e o corpo, e muitas vezes podem até virar doença. Basta pensar nas reações físicas que sentimos quando estamos muito ansiosos: falta de ar, taquicardia, boca seca, tremedeira, sudorese. Sem falar nos problemas psicológicos: insônia, insegurança, irritabilidade, tristeza.

A ansiedade virou um mal do mundo moderno, é cada vez mais comum pessoas recorrerem a tratamentos para eliminar qualquer tipo de preocupação. Mas nem todas as dores de cabeça são problemas de verdade. Não podemos simplesmente negligenciar a ansiedade. O mundo precisa ter energia e motivação, e a nossa sobrevivência depende disso. A ansiedade é como uma febre: um sintoma de que algo está errado. Se simplesmente tratarmos a febre, podemos ignorar o real problema - e isso é perigoso. O grande desafio é descobrir os motivos da inquietação.

Procure sempre a ajuda de um profissional especializado.

Fonte super.abril.com.br

 

Marilei Pôncio de Oliveira Vezaro

Psicóloga | CRP 08/16925

Vitae Clínica de Psicologia  Pato Branco/PR

 46 99121.3767