Lentes de contato para os dentes: POSSO USAR?

Lentes de contato para os dentes: POSSO USAR?

Odontologia
Heloisa Gabriel
Odontologia
CRO/PR 19552

É comum os pacientes pedirem não apenas dentes mais brancos, mas também alinhados e com formato harmônico. Mesmo que em algumas culturas o sorriso aberto ainda esteja reservado a contextos mais privados, o avanço das tecnologias, da internet e das redes sociais fez com que captar e compartilhar esses momentos se tornasse algo corriqueiro. É uma mudança que reforçou em nosso dia a dia a preocupação com o que podemos chamar de qualidade do sorriso, questão diretamente ligada à saúde bucal. Isso pode ser justificado com o aumento da concorrência no mercado de trabalho, a aparência tem-se mostrado muito importante e com isso o sorriso altamente valorizado. Dentes mais claros podem passar uma imagem aparente de higiene e status social.

Quem nunca ouviu frases do tipo: “O sorriso é o nosso cartão de visitas”, “Um belo sorriso melhora a autoestima” ou “O sorriso é alma do negócio?”.

                Atualmente, a busca pelo sorriso perfeito conta com aliados importantes no consultório do dentista. Entre esses recursos, estão as “lentes de contato dental”, expressão popular para uma tecnologia cujo nome técnico correto é “laminados cerâmicos ultrafinos”.

Eles são preparados e cimentados sobre os dentes do paciente, um a um. Falamos de lâminas que têm entre 0,2 e 0,5 milímetros de espessura e que, por serem tão finas, são comparadas às lentes de contato destinadas aos olhos.

Para saber se você é candidato ao procedimento de instalação das “lentes”, o primeiro passo é procurar um cirurgião-dentista, que examinará seus dentes e verificará se o uso das facetas está indicado ou não.

O especialista solicitará, ainda, exames de raios X e fará um molde da boca, bem como uma análise do sorriso. Assim, conseguirá avaliar o que precisa ser alterado e o que seria mais adequado caso a caso. A partir desse estudo, as lentes serão confeccionadas por um protético.

Pessoas com desarmonias suaves na forma e na cor dos dentes são as mais indicadas a recorrer às facetas ultrafinas.

O mais comum é utilizá-las para corrigir os dentes anteriores. Após um planejamento criterioso, elas estão indicadas para situações como:

• Fechamento de espaços (os diastemas)

• Aumento do comprimento dos dentes (alongamento)

• Aumento de volume (largura)

• Dentes desgastados

• Dentes lascados ou quebrados

• Alterações e correções suaves de cor

Como qualquer procedimento, esse também possui suas contraindicações. Não recomendamos as “lentes” a pessoas com alterações de coloração acentuadas, dentes com restaurações antigas ou que tenham o hábito de ranger os dentes, entre outras circunstâncias. Nesses casos, o profissional poderá definir outra solução estética.

A nova geração de facetas tem uma boa durabilidade, mas os cuidados do indivíduo que irá conviver com elas são imprescindíveis. A duração está diretamente ligada à manutenção da higiene oral, com escovação e uso de fio dental e visitas periódicas ao cirurgião-dentista.

Vale ressaltar que a indicação, o planejamento, a execução e a manutenção das lâminas devem ser sempre realizadas sob a supervisão de um cirurgião-dentista. É o que garante a qualidade do procedimento e um sorriso bonito e saudável.