Meu filho tem perda auditiva. O que eu faço?

Meu filho tem perda auditiva. O que eu faço?

Revista SOS Saúde
IMPRENSA
Matéria de anunciante
A descoberta da perda auditiva gera uma série de dúvidas e sentimentos sobre as possibilidades de desenvolvimento da criança. Incertezas, angústia e negação são reações comuns e fazem parte do processo. É importante lembrar que vocês não estão sozinhos e há muito que fazer para garantir à criança o melhor desenvolvimento possível.
Desde o momento do diagnóstico, iniciamos uma corrida no tempo para dar o melhor acesso à informação (por meio de uso da tecnologia) com o desenvolvimento das habilidades da criança. Por este motivo, a adaptação dos dispositivos de amplificação sonora é o primeiro passo.
O acesso ao mundo dos sons para uma criança é o caminho possibilitado por meio de duas tecnologias: aparelhos auditivos ou implante coclear. A indicação ao uso de um ou outro depende do grau e tipo de perda, idade da criança e aspectos observados no desenvolvimento, entre outros fatores.
Existem aparelhos auditivos específicos para a adaptação em bebês e crianças pequenas. Esses aparelhos são desenvolvidos para oferecer o melhor acesso à informação de fala, de modo confortável e seguro para a criança.
O implante coclear é um dispositivo eletrônico indicado nos casos de perdas auditivas severas ou profundas em que não é observado um bom desempenho ao uso da amplificação com aparelhos auditivos. É realizada uma cirurgia para sua colocação e, após um período de cicatrização é realizada a ativação. No caso de crianças pequenas, existem configurações específicas para adaptação dos processadores de fala (dispositivos externos).
O uso desses recursos deve ser combinado à terapia com um fonoaudiólogo. Esse trabalho é essencial para possibilitar o desenvolvimento das habilidades da audição e linguagem. Tanto o aparelho auditivo quanto o implante coclear funcionam como grandes janelas para o mundo dos sons.

Características de uma perda auditiva em fase escolar
Ouvir e aprender em sala de aula pode ser um grande desafio para as crianças com perda auditiva. Ruídos e barulhos atrapalham o foco em sala de aula. Fique sempre alerta para situações onde a criança não responde de forma adequada os questionamentos. Mesmo perdas auditivas leves podem afetar negativamente a capacidade de aprendizagem da criança. Confira abaixo alguns sinais que podem ajudar a observar a perda auditiva na criança:
• Diferenças de desenvolvimento da fala e linguagem perante os colegas
• Falta de atenção e dificuldades comportamentais
• Desempenho escolar fraco
• Não consegue seguir instruções, segue outros alunos
• Não responde quando estão fora de seu campo de visão
• Força e se foca no rosto das pessoas que estão falando
• Dificuldade em compreender em ambiente de fala com ruído
• Não se surpreendem com sons intensos
Esses são alguns sinais que em conjunto com problemas de comportamento e sociais podem lhe alertar sobre possíveis problemas de perda auditiva.

Tecnologia específica para bebês e crianças
É importante que o processo de adaptação dos aparelhos seja conduzido por um fonoaudiólogo especialista em audição. O ajuste dos aparelhos auditivos é realizado de acordo com os dados dos exames de audição do bebê ou da criança, e existem alguns pré-requisitos mínimos que deverão ser considerados para adaptação pediátrica.
• Preferencialmente são adaptados modelos retroauriculares (atrás da orelha) para dar conta das necessidades acústicas de amplificação e tamanho da orelha do bebê.
• Para favorecer o correto posicionamento do aparelho, é indicada a adaptação com ângulo pediátrico que auxilia no posicionamento correto e melhor fixação.
• A trava no compartimento de bateria é um item de segurança.
• Compatibilidade do aparelho com sistemas FM ou com a nova tecnologia Roger, é imprescindível quando pensamos em aparelhos auditivos para crianças.
• A resistência à água é também interessante quando nos deparamos com a questão de exposição à umidade para evitar a oxidação e liberdade de utilização dos dispositivos.
• Cores tornam o uso mais divertido pela criança.
Aprender a ler e escrever estão completamente ligados a ouvir e falar. Quanto antes for detectado a perda auditiva, mais fácil se torna o processo no desenvolvimento de linguagem da criança e consequentemente seu ambiente social e educacional.

️Débora Hoffmeister
Fonoaudióloga -  Crfa-RS 4965
Bento Gonçalves/RS
(️54) 99972.7122