VIVER EM TEMPO DE PANDEMIA TAMBÉM É UMA JORNADA MENTAL!

VIVER EM TEMPO DE PANDEMIA TAMBÉM É UMA JORNADA MENTAL!

Psicologia
GEISY KAREM PAN GIACOMINI
Psicologia
CRP 07/16954
Vamos falar um pouco sobre a realidade que ninguém esperava viver, nossos aprendizados, nossas emoções, o impacto na saúde mental e as formas de superar os desafios. Essa crise na saúde pública exigiu olharmos a fundo nossas emoções, pois chegou com um turbilhão de experiências e sensações intensas para todos. No início, muita ansiedade gerada por medo de uma doença desconhecida, o covid-19, pela busca de respostas, o medo da própria contaminação ou de transmitir o vírus a familiares, exigindo maior suporte psicológico frente a insegurança e o assustador aumento de casos.

Torna-se necessário aprender a lidar rapidamente com essa nova doença, protocolos adotados para diminuir riscos e contribuir com os tratamentos. Para conviver com tudo isso, alguns hábitos podem ajudar a conservar a saúde mental e corporal:
• Manter ou criar uma rotina de casa, trabalho e lazer organizada.
• Manter ou criar o hábito de conversar com amigos e familiares. Fortaleça seus contatos ainda que a distância.
• Cuidar do sono, descanse.
• Manter a alimentação adequada e saudável.
• Lembre-se que você não está sozinho, apesar de todos estarem na mesma situação não se compare a outras pessoas, tente entender o que mais funciona para você. Este é um momento intenso e fora do comum, é normal se sentir triste, assustado ou menos produtivo.
• Observe suas demandas internas, abafar ou ignorar sentimentos não é saudável, autoconhecimento facilita a encontrar o equilíbrio da situação.
• É importante estar informado, mas busque sempre fontes oficiais para evitar notícias falsas.
• Tire um tempo por você e para você: leia um livro, assista um filme, cozinhe com tranquilidade, aproveite o momento para fazer cursos online, e até para organizar a casa, como aqueles armários que há muito tempo não mexe, também é uma boa saída para ocupar a cabeça.
• Proteja suas crianças, sem fomentar medo ou pânico, ofereça espaço para que elas expressem seus sentimentos e fantasias em relação ao tema, ensine de forma lúdica, através de brincadeiras como elas podem se proteger.
• Leve em consideração aquilo que faz sentido para você, coloque em prática o que funciona de acordo com seu estilo de vida e preferências.
• Atendimento Psicológico: procure ajuda de um psicólogo que irá lhe ajudar a diminuir os efeitos do isolamento, caso sinta necessidade, não hesite. Cuide de você!

Você sabia... que também existem consequências positivas em meio a tudo isso? Apesar dos desafios em momentos críticos, algumas pessoas acabam se reinventando, criando formas de se manter bem, melhorando situações de rotina, e ainda se orgulham por terem encontrado alternativas para lidar com a situação, por desenvolverem resiliência e por pensar mais como família.