ESTIMULAÇÃO MAGNÉTICA TRANSCRANIANA DE REPETIÇÃO

ESTIMULAÇÃO MAGNÉTICA TRANSCRANIANA DE REPETIÇÃO

Psiquiatria
Audrey Gotardi
Psiquiatria
CRM/PR 30144 | RQE 26865

A Psiquiatria é uma das especialidades médicas que mais sofre estigma. Muitas vezes os pacientes deixam de procurar ajuda por medo do tratamento, por desconhecimento da doença ou ainda por preconceito dos familiares. Os transtornos mentais são muito prevalentes, e causam prejuízo importante no dia a dia das pessoas, seja por sofrimento intenso, por dificuldade para realizar as atividades de vida diária como trabalho ou atividades domésticas. É importante sempre procurar ajuda. A função do médico psiquiatra é melhorar a qualidade de vida do paciente, e não sedar ou deixar um “zumbi" como muitos acreditam. Sempre que possível buscar a remissão dos sintomas, ou seja, melhorar o quadro completamente, e, quando não é possível devido à natureza da doença, buscar o alívio dos sintomas. Para isso estão disponíveis muitas técnicas de tratamento, medicamentosas ou não.

O paciente deve ser avaliado, não apenas o quadro possivelmente psiquiátrico, mas também a saúde física e as condições sociais e familiares. Após será indicado o melhor tratamento, que pode ser para as doenças clínicas (neste caso pode ser encaminhado para outro profissional), ou ainda um tratamento psicoterápico, medicamentoso ou de Neuromodulação.

Sou médica pela Universidade Federal de Pelotas, psiquiatra pela Associação Brasileira de Psiquiatria, com experiência em psiquiatria há 7 anos, e em Neuromodulação há 1 ano. Fiz minha formação em Neuromodulação com o Dr. Moacyr Rosa, referência nacional no assunto. Neste artigo gostaria de falar sobre Neuromodulação, que são métodos de estimulação cerebral que melhoram o funcionamento do cérebro e são importantes ferramentas de tratamento. Nós trabalhamos com Eletroconvulsoterapia e Estimulação Magnética Transcraniana de Repetição.

A Eletroconvulsoterapia é uma técnica que induz uma convulsão generalizada, é realizada em ambiente hospitalar, com anestesia geral, o paciente não convulsiona o corpo devido à anestesia, apenas o cérebro. Não é como é mostrada nos filmes, não é um método de tortura, é indicada para tratamento de quadros psiquiátricos graves refratários a outros tratamentos ou que necessitam de resposta rápida (não poderia esperar o tempo que a medicação precisa para funcionar). Apesar de ser uma técnica muito eficaz, com ótima resposta terapêutica é pouco usada devido ao estigma.

Nosso foco será a Estimulação Magnética Transcraniana como um tratamento inovador e eficaz.

A Estimulação Magnética Transcraniana de Repetição (EMTr) é uma técnica segura e moderna, capaz de estimular o cérebro de forma quase indolor (nas primeiras sessões pode ocorrer um desconforto no local da aplicação mas que melhora com o decorrer do tratamento), utilizada como tratamento para melhorar o funcionamento do cérebro que está doente. É um procedimento não invasivo, não precisa de anestesia ou ida ao hospital, o paciente recebe os pulsos magnéticos sentado confortavelmente em uma  poltrona no consultório médico.

A EMTr é indicada para depressão (leve, moderada, grave, pós-parto, refratária, distimia e fase depressiva do transtorno bipolar) e para a esquizofrenia (no tratamento de sintomas negativos e de alucinações auditivas). A técnica também tem demonstrado eficácia no tratamento de dependentes químicos, de paciente com transtorno de ansiedade como transtorno do pânico, transtorno de stress pós-traumático e de pacientes com dor crônica, em especial a fibromialgia.

No Brasil, o Conselho Federal de Medicina apenas reconhece para o tratamento de depressão e alucinações auditivas, os outros são considerados como experimentais.  O uso da EMTr foi regulamentado pela Anvisa em 2007, e pelo conselho Federal de Medicina (CFM) em 2012.

Hoje através de estudos de imagem avançados, sabemos quais áreas do cérebro não funcionam bem quando o paciente está doente, como por exemplo, na depressão. Assim, após avaliação do paciente determinamos qual local do cérebro deve receber a estimulação. Esta é feita através de uma bobina repousada sobre a cabeça do paciente, que por meio de uma corrente elétrica cria um campo magnético capaz de mudar a atividade do cérebro naquela região. A mudança depende da carga utilizada e do número de aplicações, ela pode estimular (aumentar a atividade de uma área que está funcionando pouco - como na depressão) ou inibir (diminuir a atividade de uma área que está funcionando muito - como nas alucinações auditivas), modulando assim, a atividade neuronal e proporcionando o resultado esperado.

Além da resposta aguda com melhora dos sintomas após 15 a 20 sessões, também é esperada uma resposta prolongada com mudança no funcionamento do cérebro em longo prazo, modulando a conectividade e a excitabilidade.  São necessárias em média 20 sessões consecutivas, com duração de 20 a 30 minutos cada, num período máximo de 3 a 4 semanas. Após o tratamento pode ser necessária à manutenção, que será indicada de acordo com a avaliação clínica e resposta terapêutica.  O número total de sessões pode variar segundo a resposta do paciente.

É indicada em casos nos quais pacientes não respondem adequadamente ao tratamento convencional ou não tolerem efeitos colaterais indesejáveis das medicações ou, ainda, quando há urgência de melhora. Auxilia e complementa o tratamento, potencializando a medicação ou acelerando a melhora do paciente. É uma técnica extremamente segura, com poucos efeitos colaterais. O efeito colateral mais comum é dor ou desconforto no local da aplicação, e dor de cabeça entre os atendimentos, esses efeitos diminuem ao longo do tempo. Não parece causar alteração cognitiva, seja na atenção ou na memória. O efeito colateral mais temido é a convulsão não intencional, mas é muito rara.

Realizamos o tratamento em nossa clínica, Clitecc - Psicologia e Psiquiatria - Edifício Silvio Vidal, 175, sétimo andar, sala 702. O telefone para agendamento é (46) 98830-3003. Para mais informações acesse meu site: www.draaudreygotardi.com.br, meu perfil profissional no Instagram @draaudreygotardi ou minha página no facebook Dra Audrey Gotardi. Meu perfil profissional e currículo está disponível nessas plataformas.

 

“Sou apaixonada pela minha profissão, encontrei na Psiquiatria um por que. A possibilidade de aliviar a dor do outro quando assim desejado pelo paciente, de olhar e de tentar entender o funcionamento de cada um é o que me motiva.”

 

Dra. Audrey Gotardi

Médica Psiquiatra

CRM/PR 30144 | RQE 26865

Clitecc Psicologia e Psiquiatria

46 98830.3003

Rua Silvio Vidal, 175 - Ed. Silvio Vidal - 7° andar - Sala 702 - Pato Branco/PR