ANSIEDADE DE DESEMPENHO: O medo que atrapalha o sucesso

ANSIEDADE DE DESEMPENHO: O medo que atrapalha o sucesso

Revista SOS Saúde
IMPRENSA
Matéria de anunciante

Atualmente o Brasil é considerado um dos países mais ansiosos do mundo. É importante lembrar que a ansiedade é um sentimento natural do ser humano. Ansiedade é uma resposta normal para diversos acontecimentos da vida: para uma criança que vai ficar longe dos pais, para adolescentes no primeiro dia de namoro, ou quando teremos uma prova importante. Experiências novas e inéditas sempre são acompanhadas de alguma ansiedade. Ela passa a ser patológica quando não existe um objetivo específico ao qual se direciona, quando ocorre excessivamente, quando é desproporcional as situações ou persiste além dos períodos apropriados ao nível de desenvolvimento em que se encontra o indivíduo. Nessas situações, a ansiedade pode causar sofrimento e precisar de tratamento. Existem formas variadas da ansiedade se manifestar, uma delas é a ansiedade de performance ou de desempenho que costuma se manifestar em áreas da vida onde buscamos ser bem sucedidos. Trabalho, estudo e relacionamentos são algumas das situações onde desejamos realização e satisfação e que podem ser comprometidas por esse tipo de ansiedade social.

O QUE É ANSIEDADE DE DESEMPENHO?

A ansiedade de desempenho corresponde a um sentimento de ansiedade ou de medo acentuado e persistente em uma situação em que o nosso desempenho (a forma como fazemos alguma coisa) é importante; que surge quando nos sentimos pressionados para nos sairmos bem ou queremos mostrar um bom desempenho perante alguém. Há intenso sofrimento antes, durante e até depois das situações temidas. O pensamento associado é o de ser avaliado negativamente pelos demais, ficar embaraçado, ser humilhado ou rejeitado ou até ofender os outros.

Os mecanismos neurais são sensíveis às emoções. A ansiedade, atrapalha o desempenho cognitivo, interfere na capacidade do cérebro raciocinar por causar distrações, prejudicando a atenção e o controle emocional. Assim a ansiedade pode facilitar ou dificultar um determinado desempenho. Muitas pessoas sofrem de ansiedade apenas em eventos que exercem uma certa pressão, como o atleta em uma competição ou o vestibulando antes da prova. Outras, sofrem diante de pessoas não familiares, diante da possibilidade de estar sendo observado comendo ou bebendo, ou até situações que envolvam seus relacionamentos íntimos.

QUAIS SÃO OS SINAIS?

Os sinais são semelhantes ao da ansiedade de maneira geral: alterações no sono e no apetite, tensão muscular, sensação de fadiga, instabilidade no humor, insegurança e preocupação excessivas, irritabilidade e sensação de confusão. Além desses, ocorre perda de concentração, diminuição na capacidade de tomar decisões, tendência a pensamentos negativos, tais como “não vou conseguir” ou  “irei falhar de novo”. O nível de medo ou ansiedade é tão intenso que parece ser aliviado com comportamentos de evitação/esquiva. Assim, o comportamento de evitar situações também pode ser um dos sintomas.

 

COMO O TRABALHO PODE SER AFETADO?

No ambiente de trabalho o comum é haver um sentimento de incerteza acerca de sua preparação e da capacidade de obter os resultados esperados, ou, imaginados como esperados. Esses pensamentos geram insegurança e distrações, que vão minar o desempenho do candidato, do atleta ou do profissional. Comportamentos evitativos podem ocorrer, como faltas, mal-estar físico antes de sair de casa e que impedem de chegar ao trabalho. Além da ansiedade manifesta, insatisfação profissional e depressão podem ser consequências.

CRIANÇAS PODEM SENTIR ANSIEDADE DE DESEMPENHO?

Muitos dos transtornos de ansiedade se desenvolvem na infância e se não tratados podem persistir na adolescência e idade adulta. Crianças podem apresentar ansiedade social e de desempenho, desde que o medo ou ansiedade ocorra em contextos que envolvam outras crianças e não só em interações com adultos. Elas, cada vez mais precocemente, preocupam-se com a avaliação externa, especialmente dos pais e professores, como forma de garantir sua atenção e amor. Em crianças o medo ou ansiedade pode ser expresso chorando, com ataques de raiva, imobilidade, comportamento de agarrar-se ou encolher-se diante das situações temidas. Em casa, tentam constantemente agradar os pais, assumindo posturas passivas, evitando manifestar sua opinião e até de participar das reuniões de família. Cobranças excessivas dos pais quanto ao comportamento e desempenho escolar, podem contribuir para uma postura perfeccionista, baixa tolerância a falhas e erros, comprometendo o desempenho escolar e interação com outras crianças.

QUAIS SÃO OS SINAIS DE ALERTA DE ANSIEDADE NA ESCOLA?

• O aluno demonstra com frequência medo e angústia diante de situações como participar na aula, ir ao quadro, testes, apresentações orais; hesita na resposta, pois tem medo de falhar; bloqueia nas interações verbais com o professor;

• Manifesta sinais de ansiedade nas situações temidas (por ex., rubor facial,  mãos frias e úmidas, tremores, voz tremida e transpiração);

• A participação espontânea em sala de aula é rara;

• É frequente verbalizar “não vou conseguir”, “não sou capaz”, “não sei”;

• Queixa-se de ter “brancos” frequentes durante os testes em matéria que estudou bem;

• Tem notas inferiores às suas expectativas e às suas capacidades cognitivas;

• Evita ir as aulas.

 COMO A ANSIEDADE AFETA O SEXO?

Existem muitos motivos pelos quais a ansiedade atrapalha o desempenho sexual. Uma explicação simples é que o estado mental de ansiedade pode ter um impacto grande na capacidade de se excitar tanto nos homens quanto nas mulheres. Quando o foco está no resultado, pode-se não conseguir se concentrar no que se está fazendo. A ansiedade de desempenho sexual não é diagnosticada com frequência nas mulheres, mas pode afetar tanto as fases de desejo quanto de excitação femininos. Ao impedir que a mulher fique mais lubrificada ou lubrificada o suficiente para o ato sexual, pode retirar o desejo físico de fazer amor. É comum que o problema afete homens pela própria pressão da sociedade. Mesmo se estiverem com alguém que achem atraente sexualmente, a preocupação em dar prazer para o parceiro pode impossibilitar de fazer justamente isso. Até mesmo homens que normalmente não tem problemas de ereção podem ficar incapazes de consegui-la quando estão dominados pela ansiedade de desempenho sexual. A ansiedade na hora do sexo pode desencadear muitos problemas. Além de, muitas vezes, faltar prazer para ambas as partes envolvidas, a ansiedade pode causar ejaculação precoce e disfunção erétil. Uma das causas da ejaculação precoce decorrente da ansiedade é a excessiva adrenalina liberada na corrente sanguínea durante o sexo, que leva a uma maior excitação e consequente ejaculação precoce. O homem com dificuldade de ereção foge de qualquer contato, para não lidar com a angústia do fracasso. Em alguns casos, pode até perder o desejo sexual como processo de defesa ao risco da falha. “ Pior que falhar é a possibilidade de falhar”.

O QUE FAZER?

A determinação do quanto o medo ou a ansiedade são excessivos ou fora de proporção deve ser avaliado por um profissional. Caso a ansiedade seja incontrolável, cause sofrimento exagerado ou esteja prejudicando o desempenho em diversas áreas, não deixe de procurar a ajuda de um profissional de saúde mental. Compreender o que é a ansiedade e as suas manifestações, identificar formas negativas e irrealistas de pensar, aprender estratégias para controlar a sintomatologia, diminuindo o desconforto físico e mental é fundamental. A necessidade de tratamento medicamentoso deve ser avaliado individualmente. Caso hajam dificuldades sexuais, procure um profissional especializado em medicina sexual. Alguém que você possa se sentir confortável ao falar sobre sua vida sexual.

.

Clínica Jeito de Ser

Dra. Ana Cristina Haas | Psiquiatra | CREMERS 28370 | RQE 30257

Bento Gonçalves/RS  54 3454.4092